Sem enrolação

31 12 2008

2008 foi um ano enrolado e de mudanças. Boas.

Casei, conheci a vida corrida de dona-de-casa, aprendi a cozinhar na marra, passamos por uma crise financeira  feia, descobri o quanto é bom casar, arrumei uma paixão desconhecida por plantas.

Nossas famílias estão bem e próximas.

As coisas no trabalho estão mais certas – mesmo que de uma forma incerta –, tenho mais responsabilidades e autonomia, trabalhei feito uma mula manca, comecei a ser tratada como parte da equipe, recebi um aumentinho bem pequeno, já tenho programação pras próximas duas produções.

Aos poucos nosso apartamento está ficando com a nossa cara, vamos ajeitando tudo conforme vai dando. Mas já temos o melhor sofá de todo o mundo.

 

Mesmo com as complicações, só consigo lembrar de coisas boas desse ano. Acho que foi um ano bom. Que 2009 continue assim.

 

Feliz ano novo pra vocês.

Anúncios




Espírito de Natal

17 12 2008

O povo aqui tá reclamando de um fornecedor que não mandou nada de presente de Natal, só um cartão (fofo) por email.
Esse fornecedor trabalha sozinho, acabou de casar, tá pagando apartamento e é um fodido. Assim como eu, todo mundo aqui sabe disso.
E tão reclamando sério.

Quando eu digo que a solução da humanidade é ser exterminada, acham que eu sou uma louca.

Eu fico mal com essas coisas. De verdade.





House

15 12 2008

E, depois de tanto tempo, voltamos ao vício.
Tô aqui, sem nada pra fazer, pensando que eu podia estar em casa assistindo vários episódios.





Seis meses

15 12 2008

Os mais legais do mundo.





Trinta e um

8 12 2008