Preciso de um caderninho

30 09 2004

Esqueci as outras idéias que eu tinha pra postar.





Falando nisso…

30 09 2004

Minha mais nova meta é descobrir qual é a maldita diferença entre Por que?, Por quê?, porque e porquê?

Além de o que e o quê.

Por que porra tem esse circunflexo aí???

Quer dizer, eu até sei a diferença (mais ou menos), mas na hora de usar nunca sei se é o caso de pôr o cincunflexo. :-/

Que anta!

Mas eu chego lá.

Ah, não me olhem assim. Eu gosto de aprender essas coisas.





Herrar eh umano

30 09 2004

Eu tava reparando uma coisa por aí. As pessoas escrevem cada vez mais errado.

Quando eu digo “por aí” não me refiro só à net, blogs e messengers da vida (nesses dá até medo de certas coisas). Recebo bilhetes e emails ininteligíveis de (malditos) diretores de arte, gerentes de marketing, atendimentos e outras pessoas graduadas, com cargos importantes em empresas de renome.

Vírgulas são artigo de luxo; acentos, quando são usados, é de forma errada; concordância é o que mesmo?

São mensagens profissionais, caramba. Não é um bate-papo informal.

Fico impressionada.

Não bastasse isso, tem a tentativa de correção daqueles que sabem menos do que aquele primeiro que escreveu errado. Isso sim eu encontro mais na net, blogs, messengers e afins.

Acho que corrigir aquilo que você não sabe é bem pior do que não saber. E é por isso que eu não corrijo ninguém, a não ser quando é pra zoar, né?

Eu escrevo muito mal e porcamente, não sei nada de gramática, escorrego bastante na pontuação, corro sempre pro dicionário. Justamente por isso eu resolvi parar de escrever sem acento, sem letras maiúsculas e sem pontuação. Comecei a ficar com medo de escrever errado de verdade e não só quando fosse uma distração. Afinal, escrever é um treino. Quanto mais eu escrevo errado, pior fica.

Sério. Fiquei com muito medo de estar escrevendo do jeito que eu vejo as pessoas escreverem.

Dói a vista ler esses erros. Dá desespero. Não quero, não quero, não quero!

Sempre achei tão bonito ver um texto bem escrito. Não precisa ter palavras difíceis e mirabolantes (pelo contrário, gosto dos textos simples), basta estar correto.

Continuo não sabendo nada, mas agora eu disfarço…

Update

Esqueci de mencionar ali em cima que a minha vontade de corrigir pessoas que se acham no direito de corrigir todo mundo por ACHAR que sabem mais que os outros é mais forte que eu. Detesto arrogância.

(É, tô azeda)





Village People ainda vive???

30 09 2004

Vive!

E, acredite se quiser, vem ao Brasil!

Pô, eu quero ir. 😦





Na C&A

30 09 2004

Atendente procurando número do CPF na minha carteira de motorista (já que eu fui pagar – atrasado, pra variar – sem levar a fatura ou o cartão):

Ah! Detalhe relevante pra quem não me conhece pessoalmente: aquela da foto alguns posts abaixo, sou eu mesma. Só dei um contraste básico e uma alterada na saturação, mas o bronzeado da minha linda cutis não ficou muito longe do real. Agora sim.

– Nossa, você é angolana?

– ? (Esse cara tá me gozando)

– É. Saiu uma moça daqui agora que era angolana, e ela tinha o sobrenome parecido com o seu.

– ?? (Hello-ou!!!)

– Esse nome é comum na Angola?

– ??? (Isso só pode ser pegadinha, não é possível)

– Não é?

– É. É sim. Bastante comum.

– Ah, eu sabia!

– … (Deve ser o orgulho da mamãe)





No trabalho

30 09 2004

Eu, desligando o telefone depois de atender um cliente, e meu chefinho querido:

– Putz, esse cara parece uma minhoca no telefone.

– Como é uma minhoca no telefone?

– Igual esse cara, ué. Uma minhoca gigante… de boné amarelo ainda por cima. Imagina só.

– Minhoca de boné amarelo?

– É.

– Comendo frango xadrez?

– Minhocas comem frango xadrez?

– Só as que usam bonés amarelos e falam ao telefone.

– Bem que eu achei que ele tava mastigando!





Sobre a festa que eu deveria ter ido

30 09 2004

Fiquei sabendo que foi badaladíssima, com direito a celebridades e tudo mais.

Ainda bem que eu não fui.