22 10 2010

Tenho 3 ou 4 calças novas, esperando pra fazer barra.

Elas estão lá esperando desde uns dias antes da minha mãe ser internada. Eu ia deixar pra ela fazer as barras quando estivesse em casa se recuperando da cirurgia. Pra ela se distrair.
Era minha mãe quem fazia as barras das minhas calças. Sempre foi uma luta pra ela conseguir que eu vestisse as calças pra ela marcar o comprimento. Eu detestava fazer isso. Às vezes passavam semanas com ela falando todos os dias pra eu vestir a bendita calça pra ela marcar.

Agora as calças estão lá e eu não tenho coragem de mexer nelas. Não consigo seperá-las pra levar pra fazer as barras. Não consigo nem pensar nisso. Ontem à noite pensei em separá-las pra levar pra minha sogra fazer pra mim. Pra ela se distrair. Mas não consegui.

Uma das calças eu tenho usado com uma barra tosca feita com esparadrapo. Fiz isso quando minha mãe ainda estava no hospital e continuo fazendo até hoje, toda vez que eu lavo. Quando mostrei pra ela a barra feita com esparadrapo, ela ficou brava e achou graça ao mesmo tempo.

– Tem mais umas que precisa fazer a barra. Tô esperando a senhora ir pra casa. Mas essa eu precisava usar, ué.
– Vamos ver quanto tempo vai demorar pra você vestir pra eu marcar.

É, vai demorar…

Anúncios

Ações

Information

3 responses

23 10 2010
Kelli Machado

Ai, Ana, não consigo nem imaginar a dor que vc sente.
Acredite se quiser, aqui em Lisboa, eu guardo coisas para minha mãe arrumar qdo eu for visita-la no Brasil.
Mas viu… experimenta cola quente no lugar de esparadrapo. Aquelas de revolver que a Ana Maria usa pra fazer artesanato. Acho que vc encontra em qualquer bazar de bairro. Bjos

26 10 2010
Alessandra

Eu fiquei um tempão sem visitar o seu site e do Marco Aurélio pq eu engravidei e fiquei sem tempo para nada. Agora voltando para trabalhar sempre sobra uns minutos para dar umas fugidinhas para ler os blogs de sempre. E toda a vez que eu visito os blogs de vocês eu tenho um aperto no peito pq eu me lembro do meu pai que morreu quando eu tinha 18 anos. Hoje eu tenho 31 e te digo uma coisa: a saudade fica, o carinho fica, mas a dor fica mais fácil de suportar. Você nunca se esquece de um pai ou uma mãe, mas com o tempo essa dor que você sente, que parece que vai arrebentar o seu peito e te deixar sem ar para respirar melhora. Ainda me pego muitas vezes pensando em meu pai pq eu o amava muito e ainda mais agora com um bebê pensando que ele não viveu suficiente para ser avô. Mas deem tempo ao tempo, qe daqui a pouco fica mais fácil.

Beijos

25 01 2011
Elisangela

Minha querida mãezinha tbem fazia as barras das minhas calças, apertava algumas roupas ela sempre reclamava que comprava muita roupa e dai antes era bom assim ela reclamando dando palpites…. depois que ela faleceu nunca mais comprei nenhuma roupa…..

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: