28 01 2008

Estou fazendo um tratamento para emagrecer. Preciso perder 25 quilos.
Consultei a endocrinologista que acompanhou minha irmã antes (e depois) da redução de estômago. Ela receitou Cloridrato de Sibutramina (é, a parte divertida ficou pra ele. Blé!) para controlar meu apetite e ajudar a manter o peso que eu perder. Além do remédio – que me dá dor de cabeça, secura na boca, desânimo, mau humor, insônia e prende o meu intestino – tenho que seguir a dieta dos pontos. A médica me liberou 450 pontos por dia. Eu faço uma média de 300.
Tomo o remédio regularmente, sigo direitinho a dieta, não relaxo nos fins de semana e comecei a fazer caminhada. Não bebo mais coca-cola, fujo feito louca de massas, frituras, doces e chocolate.
Já faz um mês. Dos 25 quilos que eu preciso perder, não perdi nada, só a alegria.





Três anos!

15 01 2008

ÊÊÊÊÊÊÊÊÊÊÊÊÊÊ! \o/

Mas só?
Caramba…

Ãpideite:
Três anos de namoro, gente bonita.
Não tô conseguindo escrever posts mimimi por falta de tempo e… er… sei lá, perdi a mão.
Mas ele sabe o quanto eu amo. Também sabe que parece que faz a vida toda e que isso é bom. Na verdade, eu não sei se ele sabe dessa última parte, mas é.





Saudade…

14 01 2008




9 01 2008

Eu tô pra escrever sobre um blog faz um tempão. Decidi esperar pelo aniversário da autora pra fazer um post de parabéns e falar do blog junto. Eu queria escrever um post lindão, falando o tanto que eu gosto dela e o tanto que a gente acabou se aproximando graças à doença que ela teve.
Só que o aniversário passou e eu não tenho mais desculpa. Não consegui. Não consigo. Abri a janelinha do blogger dezenas de vezes e ensaiei o post outras várias. Não saiu nem um parágrafo que prestasse.
Parece que um texto é pequeno demais pra tudo que ela passou, tudo que ela merece e tudo que eu gosto dela.

A Daniela teve câncer de mama no último ano. Operou. Fez quimio. Deixou todo mundo desesperado. Quase morreu. Mas até que foi tudo bem tranqüilo, viu? ¬¬
Ela criou um blog pra contar aos poucos tudo o que aconteceu, e, quem sabe, poder ajudar alguém que esteja passando pela mesma situação. E, gente, ela conta como ninguém.
Vão lá.

Parabéns, Dani, mais uma vez. Por tudo.
Você devia trazer Ipanema pra casa ao lado da minha. A casa é grande, vai caber.
Te amo, mulé.





2 01 2008

Eu desejaria feliz Natal pra todo mundo se o Natal já não tivesse passado há muito tempo. E também desejaria feliz ano novo se eu tivesse condições psicológicas.
O fato é que eu tô tentando me recuperar de um trauma.

Vocês sabiam que o Dr. Gregory House – minha mais nova paixão e vício, motivo pelo qual tenho passado noites seguidas acordada até terminar de assistir a primeira temporada e ser obrigada a comprar a segunda com urgência – é também Frederic Little, pai do Stuart Little?

E vocês convivem com isso numa boa?