Prestenção no macro e no desfoque do meu brinquedo novo

23 01 2007

.

E eu sou tão feliz… 🙂

Anúncios




Eu sabia!

22 01 2007




Eles são muitos

19 01 2007

Essa semana durou um mês. Fato. Todos notamos isso, não?
Ok, já que concordamos, vou contar como terminou esse mês que passou nessa semana.

Saí do trabalho às 18h, pontualmente, como sempre. Eles querem peões, terão peões. Ótimo.
Fui pro metrô, como todos os dias.
Linha verde sempre muito quente, metrô cheio, eu passei um tempo excomungando São Pedro por ter feito uma manhã nubladérrima e depois um dia de sol abafadíssimo, me fazendo errar o figurino e passar calor por causa dele. Tchananan, essa coisa toda e tal.
Chegou o Paraíso. Não, não morri. Estação Paraíso, baldeação (GENTE! Nunca escrevi essa palavra, nem vi escrito em lugar nenhum. Aliás, não sei se está certa. Dane-se) com a linha azul.
Vou pra linha azul, sentido Tucuruvi, já que a minha casa linda mora perto de uma estação dessa linha, nesse sentido, vejam vocês. Sim, minha casa MORA lá mesmo, porque casas também moram.

Vamos indo, todos, felizes para casa, lálálálálá, passam estações, lálálálálálá, o metrô cheio, lálálálálálá, eu pensando na vida, lálálálálálálá, continuo fazendo o que eu gosto?, lálálálálálálá, faço alguma coisa pra ganhar dinheiro?, lálálálálálálá, …

– AI MEU DEUS.

Ahn? Hein? Que foi isso?
O metrô fez um barulhão. As pessoas ficaram preocupadas. Sacomé, as coisas andam desabando muito ultimamente, nunca se sabe.
Mas não tinha desabado nada. Uma voz vinda do além veio pra tranqüilizar:

– Informamos que devido a uma falha neste trem e impossibilidade de parar nesta estação, os usuários deverão seguir viagem, podendo voltar, gratuitamente, na próxima estação.

Mentira, claro. O motorista do metrô deve ter dormido e passou da estação. Ou então ele tirou carta de habilitação de metrô faz pouco tempo e errou o cálculo da distância antes de pôr o pé no breque. Alguma coisa assim…
O importante é que o trem passou da estação e não podia abrir a porta.
Ouvi alguns “ô, caralho”, outros “putamerda”, e seguimos viagem.

Dentro do túnel, voz do além:

– Informamos que devido a uma falha neste trem e impossibilidade de parar na estação Luz, os usuários deverão seguir viagem, podendo voltar, gratuitamente, na próxima estação.

Putz, agora vai ficar repetindo esta merda, pensei. Mas, não, foi uma única vez.

Chegamos à estação Tiradentes, a seguinte.
Abre a porta.
MAIS DA METADE das MUITAS pessoas que estavam dentro do metrô saem. Quando eu digo muitas, é assim, ó: todos os acentos ocupados e MUITAS pessoas em pé, se amassando umas nas outras. Entenderam?
Então, mais da metade dessas MUITAS pessoas saíram. O vagão ficou quase vazio.
Tudo bem, normal, a Luz é uma estação que desembarca muita gente, mesmo, por causa da integração com o trem (esse é trem de verdade), mais que justo voltar um monte de gente pra lá.
Só que as pessoas saíram e não andaram em direção ao trem que volta.
Todas ficaram paradas na porta, do lado de fora, umas olhando pra cara das outras.
Nós, dentro do vagão, olhando pra cara delas.
Apito. Fecha a porta. O trem fica parado.
Pessoas paradas na plataforma. MUITAS pessoas. Todas paradas na porta do vagão que elas tinham acabado de descer.
Continuam paradas. Continuam paradas. Continuam paradas…
Quando eu estava quase gritando “VÃÃÃÃÃÃÃO! VOCÊS ESTÃO LIVRES!”, abre de novo a porta e a voz do além volta:

– ESTE TREM SEGUIRÁ VIAGEM NORMAL ATÉ SEU DESTINO FINAL! (CARALHO! – ficou subentendido)

Todas as pessoas que estavam do lado de fora entraram novamente. Seguimos viagem:

– Ah, quando ele disse que era pra voltar na próxima estação, ele quis dizer que era só quem ia desembarcar na Luz e não conseguiu.

Foi com esse comentário caindo na minha cabeça que terminou esse meu mês que passou nessa semana.
E ainda me dizem que eu preciso ter calma… CALMA!





Dia Internacional da Apelação

19 01 2007

Vi na Zel e fiquei com vontade.
Tirei duas perguntas: uma sobre músicas e outra sobre bandas prediletas. Não tenho prediletos nesse quesito.

três nomes pelos quais você atende:
1) ana
2) carlota
3) ca

três nomes de “tela”:
1) ana cartola
2) aninhaa
3) mais nenhum que eu me lembre

três coisas que você gosta em você:
1) as mãos
2) o riso fácil
3) a ausência de frescurinhas-de-mulherzinha

três coisas que você odeia/não gosta em você:
1) achar sempre que tô sendo inconveniente
2) insegurança
3) indecisão

três partes da sua herança:
1) os coxão e os bração da mamãe
2) a cabeça-dura do papai
3) o jeito metódico (quase maníaco) da vovó

três coisas que assustam você:
1) frieza
2) burrice
3) cortes (ou qualquer coisa que exista a possibilidade da minha carninha/ossinho/veinhas/coisinhas de devem ficar guardadinhas embaixo da pelinha ficarem expostinhas)

três coisas essenciais no seu dia:
1) tomar banho assim que eu acordo
2) açúcar
3) família

três coisas que você está vestindo agora:
1) calça jeans
2) blusinha
3) sapato de camurça

três novas coisas que você quer tentar nos próximos 12 meses:
1) decidir se eu fico na minha área ou mudo
No momento, não consigo pensar em outra coisa.

duas verdades e uma mentira: qual é a mentira?
1) eu como fígado
2) eu acredito em horóscopo
3) eu não consigo dobrar só o dedinho, sem o anular dobrar junto.

três nomes de filhos: (se eu os tivesse…)
1) vinícius
2) bruno
3) lucas
Sempre penso nomes só de meninos. Não consigo pensar nomes de meninas.

três coisas que simplesmente você não consegue fazer:
1) falar “organizacional”
2) ficar só com uma das mão (ou um dos pés) molhada/suja
3) deixar de pensar em matar uma pessoa burra por dia

três dos seus hobbies favoritos:
1) viajar
2) ler
3) arte…

três coisas que você quer fazer antes de morrer:
1) ter uma casa
2) ganhar bem
3) conhecer os países d’além mar





19 01 2007

Oi!
Eu venho lendo o seu blog há muito tempo, e gostaria de parabenizá-la por tê-lo!
O seu blog, sei lá, me faz ter vontade de ler! E isso é muito bom!
Eu nunca fui muito fã de ler, sabe.
As únicas coisas que lia eram as respostas do MSN e Orkut dos meus amigos, trabalhos de colégio e algumas letras de músicas para aprendê-las.
Mas desde outubro do ano passado pra cá, o seu blog vem sendo um companheiro de madrugadas, digamos assim.
É muito bom ler o que você escreve. Deve ser porque você fala de um jeito como se estivesse conversando comigo, me contando como foi o seu dia, como estão os seus amigos, como está o seu trabalho.
Já passei ótimos momentos na frente do PC rindo dos seus posts! Principalmente aquele em que você ficou “presa” no vestido. HAHA!
Então, por fim, gostaria, novamente, de lhe agradecer por manter esse blog.
Espero que sejas feliz, na medida do possível, e que todos os seus sonhos se realizem, beleza?
Então, é isso aí. Até mais.

Paulo

Eu sei, publicar comentário é o cúmulo da apelação, mas, pô, olha o comentário do cara. Meu blog faz ele ter vontade de ler! Pois é. Ele tem problema, coitado, a gente tem que dar um apoio pra pessoa. Não dá pra passar batido.

Paulo, qualquer coisa eu tô aqui, viu? Pode falar com a tia.

Outra coisa: O POST DO VESTIDO NÃO É ENGRAÇADO! EU QUASE MORRI DENTRO DELE!
Será que ninguém entende isso?
Bah.

E mais uma coisa: eu publico o que eu quiser aqui e ninguém tem nada com isso. Vão cagar.

(comentário maisifofodomundo)
😉





Das coisas boas e ruins

19 01 2007

1. Poucas coisas me deixam tão enfurecidas quanto acordar 10 minutos antes do despertador tocar.
2. Poucas coisas são melhores do que acordar às 6h da madrugada num sábado e lembrar que não precisa levantar dali a pouco.





Dois anos

15 01 2007

Mas faz a vida toda.
E eu amo cada dia mais. E é tudo cada vez mais colorido.
É clichê, mas é verdade. Fazer o que?

Amo tanto que, às vezes, parece que esse amor todo não cabe dentro de mim. O peito chega quase a arrebentar. Então, eu suspiro…

Amo. Amo muito. Amo até o fim do mundo. Amo até o fim da vida. Amo até onde o braço não alcança. Desde sempre.